Secundária do Padrão da Légua aguarda visto

O presidente da Câmara de Matosinhos anunciou que o reinício das obras de modernização da Escola Secundária do Padrão da Légua, da responsabilidade da Parque Escolar, “apenas espera o visto do Tribunal de Contas”.

“Tivemos mais de quatro anos de completo deserto [com a interrupção das obras em maio de 2012], uma situação lamentável”, disse o presidente da Câmara de Matosinhos, Guilherme Pinto, realçando que agora, em breve, “as obras vão recomeçar”, sendo o custo da empreitada de cerca de 12 milhões de euros.
A Escola Secundária do Padrão da Légua, em Matosinhos, foi encerrada na quarta-feira pela direção por “questões de segurança”, referiu a Associação de Pais da escola, acrescentando que, devido ao mau tempo dos últimos dias, “algumas telhas das coberturas dos pavilhões onde são dadas as aulas, partiram e chove dentro dos mesmos”.

Na ocasião a direção da escola remeteu a sua posição para a petição “Por uma Escola Nova Urgente” publicada na sua página de internet e onde recorda que as obras de modernização tiveram início no dia 1 de março de 2011 e foram interrompidas em maio de 2012.

“Em todo este período continuam os alunos, docentes e funcionários a trabalhar em instalações degradadas e em contentores provisórios, condições precárias e indesejáveis, pouco ou nada dignas, que colocam em causa não apenas a segurança, como o próprio desempenho e sucesso escolar. É por demais visível o agravamento das condições estruturais dos diferentes edifícios e dos seus equipamentos/espaços (laboratoriais, desportivos e tecnológicos)”, assinala o documento.

A escola deverá reabrir na segunda-feira, depois de reparada a cobertura de onde se desprenderam a cobertura de onde se desprenderam placas de fibra de vidro, referiu na quarta-feira o Ministério da Educação.

A tutela referiu que estão “neste momento a ser mobilizados os mecanismos de elevação e os recursos humanos suficientes para que os trabalhos necessários ocorram nos próximos dias e a escola possa retomar a sua atividade normal, previsivelmente na próxima segunda-feira, dia 18 de abril”.

Esta situação não acalma porém a Associação de Pais, que “duvida” que “pôr um penso em cima da ferida” garanta a segurança necessária para na segunda-feira os mil alunos da Secundária regressarem às instalações, disse esta manhã à Lusa o membro Luís Torres.

“A nossa preocupação tem também a ver com o tempo”, disse, “alguém vai lá acima [ao telhado] por um penso”, questionou, lembrando que as previsões apontam para vento e chuva forte, por vezes acompanhada de trovoadas e de granizo, a partir de hoje e até sábado à tarde.

Desde março que está disponível para assinatura em todas as Escolas do Agrupamento uma carta dirigida ao Presidente da Assembleia da República e ao Ministro da Educação para reafirmar a necessidade urgente de concluir as obras naquela Secundária.

in: JN

Foto: João Manuel Ribeiro/Global Imagens

 

 

 

Anúncios

Deixe a sua opinião

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s